cartum: esmola...


10 comentários:

  1. Putz! É exatamente como eu penso, sabia?
    Tipo, acho legal as brincadeiras que rolam no trote do meu curso (é uma gincana) mas acho muito tosco a parte de pedir dinheiro na rua.
    Lá até a galera vai pintada de forma mais harmonica (curso de criativos dá nisso rsrsrs) mas pô... o cara vai dar "esmola" para o pessoal encher a cara, enquanto tem gente morrendo de fome!

    Ps: na verdade tbm não dou esmolas na rua pois em geral não acredito que vão "comer". Sou mais do estilo "te levo na padaria e te pago um salgado e etc.".

    ResponderExcluir
  2. Eu sou meio torto, mas acho mais válido dar dinheiro pros moleques irem pra farra do que para um mendigo.

    Para o mendigo existe assistência social, uma miríade de programas governamentais que tem como objetivo justamente acabar com a pobreza extrema. E como eu dou cinco meses da minha renda anual para o governo cuidar dos problemas sociais, não me sinto muito na obrigação de dar mais nada.

    Já teve casos que me sensibilizaram e que eu ajudei sim, na hora, com comida, com passagem de ônibus (normalmente em rodoviária), comprando alguma balinha que esteja vendendo...

    Ainda assim, o que eu prefiro focar em instituições sérias de assistência, principalmente aquelas como a AACD, Abrinq e a Visão Mundial, que procuram cuidar do futuro de crianças que nascem da irresponsabilidade.

    Esmola além de não resolver, ainda cria o fenômeno de existir gente que vive disso. Tem uma mulher que pede esmolas perto de casa que até em reportagem na TV ela já apareceu: tem uma casa muito bem mobiliada, carro, televisão HD... isso tudo sem contribuir um nada para a sociedade.

    Então, do mesmo jeito que eu gasto o dinheiro que eu ganho em quaisquer supérfluos que me dêem na telha, também me dou a prerrogativa de dar ou não dinheiro pra molecada farrear. =P

    ResponderExcluir
  3. Cara, ta ai uma coisa que eu acho sem lógica, razão ou circunstância, pra que dar dinheiro pro universitário ir beber e farrear? Ainda mais quando tem gente do qual realmente precisa de um trocadinho que seja... muito boa essa tira.

    ResponderExcluir
  4. O senhor não teria um trocadilho pra me dar? Hahahah!

    Puutz! Leu a minha mente, Decidério... mas acho que essa tirinha ficaria mais real se no lugar do calouro fosse uma caloura! E seminua! Pois conheço gente que se derrete por calouras e não se derrete por pedintes.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa "gente" que você conhece é você mesmo? :p

      Excluir
  5. Poxa aluno da UERJ e mendigo é quase parecido. Se ainda fosse da UFRJ... *corre*

    ResponderExcluir
  6. Me lembro que quando passei pelo trote, eu dei parte do meu dinheiro pra um mendigo.

    ResponderExcluir
  7. eu nunca dou dinheiro para ninguém

    dar dinheiro para esse pedintes faz com que a mendicância seja uma atividade lucrativa

    não dar dinheiro é a melhor forma de ajudar aos pedintes pararem de pedir dinheiro e arranjar outra forma de ganhar dinheiro

    os outros podem estar precisando de ajuda,mas eu não preciso ajudar ninguém

    eu não tenho nada a ver com os problemas alheios

    não faz sentido,você trabalhar e no final ficar sem o dinheiro do seu trabalho,se é para ficar sem dinheiro,é melhor nem começar a trabalhar

    ResponderExcluir